Seu Teodoro morre de parada cardíaca nesta madrugada (15-01)

Padrão

pqseu_teodoro21-daiane-souza-agc3aancia-unb2.jpg

O mestre da cultura popular e do Bumba-meu-boi no DF e no Brasil, Seu Teodoro Freire, faleceu às 3h20 desta madrugada (15-01-2011) no Hospital Santa Helena, em Brasília. Ele estava com 91 anos e sofria de enfisema pulmonar, e já há alguns dias vinha resistindo bravamente aos revezes das saúde debilitada. Ele conseguiu, ainda em vida, a honra e o merecido reconhecimento de receber das mãos do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do também então Ministro da Cultura Gilberto Gil, a Ordem do Mérito Cultural tornando-se uma grande referência de cultura popular na cidade e sendo reconhecido o trabalho dele como patrimônio imaterial do Distrito Federal. Seu Teodoro foi convidado no início dos anos 60 por Darcy Ribeiro (UnB) e Ferreira Gullar (Fundação Cultural do DF) a se mudar com a família  para Brasília.

“Ele será cremado nesta segunda-feira (16-01) e já estamos providenciando os detalhes de seu velório”, informou consternado um dos filhos dele, Guarapiranga Freire, que nos últimos anos tem assumido a responsabilidade em continuar com o trabalho cultural do Bumba-meu-boi e do Tambor-de-Crioula de Seu Teodoro.

No último dia 10 foi aberto o período de festejos de São Sebastião, que iria até o próximo dia 20. “Com o falecimento de meu pai, teremos que cancelar toda nossa programação deste mês. Não há o menor clima de continuarmos com as festividades agora. Ficou um vazio muito grande”, explicou Guarapiranga Freire.

Sonhos não realizados

Seu Teodoro Freire, como idealista e grande sonhador, partiu sem conseguir realizar alguns de seu maiores sonhos: o primeiro e maior, era  a construção da nova sede do Centro de Tradições Populares. “Esse sonho, lutaremos para tentar realizar e dependemos da garantia de recursos junto ao Governo do Distrito Federal e da iniciativa privada. Pena que não conseguimos realizá-lo em 2013, dentro das comemorações do cinquentenário do Bumba-meu-boi e Tambor-de-crioula de Seu Teodoro. Chegamos até a lançar o projeto arquitetônico das novas instalações do Centro de Tradições Populares”, relembrou Guarapiranga Freire. Segundo ele, os objetivos da nova sede são: a manutenção deste Patrimônio Cultural Imaterial do Governo do Distrito Federal, promoções de intercâmbio cultural entre Brasília -DF / Maranhão, entre outras unidades da federação, e ainda uma parceria planejada para atender os anseios da comunidade do Distrito Federal, com atenção especialmente voltada para as Escolas Públicas e Zonas rurais. ” Esse espaço em Sobradinho, que abriga todas as festas maranhenses, será transformado em museu quando o novo edifício for construído”, promete Guarapiranga Freire.

Outras paixões não realizadas de Seu Teodoro eram aparentemente ainda mais difíceis: a construção, em pleno Planalto Central, de um clube de regatas do Flamengo e uma versão local da Estação Primeira de Mangueira, a escola de samba do coração dele.

Seu Teodoro Freire

Seu Teodoro chegou à cidade em 1962, trabalhou na Unb, criou o Centro de Tradições Populares e seguiu mantendo viva a cultura do Bumba meu boi na cidade

O maranhense Teodoro Feire, conhecido como Seu Teodoro, nasceu na pequena cidade de São Vicente Ferrer, localizada a 280 km de São Luís (MS), em 1920. Desde os oito anos era apaixonado pelo cultura popular e dedica-se à tradição de sua região: o Bumba meu boi e outras paixões como o time de futebol Flamengo e sua escola de Samba, a Mangueira. Ele sempre usava um chapéu de palha com tira vermelha e preta, referência à paixão pelo time rubro-negro carioca. “Sempre recordo do dia que ganhei meu chapéu de palha, com uma tira preta, de um estudante da Universidade de Brasília.  Depois, tive que colocar a fita vermelha já que não uso o preto sem o vermelho junto”, gostava de falar.

Quando menino, em épocas festivas,  saía às escondidas para acompanhar os cantadores e as toadas de boi, escondido da sua mãe. Passou uma temporada no Rio de Janeiro até chegar em Brasília, em 1962.

Assim que chegou à capital do Brasil, foi trabalhar na Universidade de Brasília e após um ano criou o Centro de Tradições Populares, em Sobradinho, com o intuito de difundir e levar adiante as festas e danças dessa importante manifestação da cultura e folclore brasileiro. “É importante manter a dança do boi viva para as novas gerações”, gostava de defender.

A primeira apresentação e visita à cidade aconteceu mesmo antes de morar em Brasília. Foi no primeiro aniversário da cidade, quando veio para fazer uma apresentação. Encantou-se com o Planalto Central e veio para ficar.

O Centro de Tradições Populares, no começo, era bem simples, feito de paredes de taipa, chão de terra batida e teto de palha. Hoje, tem uma boa estrutura e reúne cerca de 75 integrantes onde faz apresentações de bumba-meu-boi, de Tambor-de-Crioula e comemora as festas de São Sebastião, São Lázaro e da Matança do Boi (essa há 49 anos). Houve também o Encontro-de Bumba-meu-Boi realizado na Funarte, em homenagem ao sempre empolgado mestre.

Anúncios

»

  1. Que o Sr. Teodoro descanse em paz, e parabéns a ele que lutou até o fim e conseguiu manter a uma tradição cultural tão bela e contagiante! Avante família Freire!

  2. Que Deus o tenha, perdemos não só o mestre dessa arte, mas também uma grande figura humana, tive o grande prazer de participarmos juntos do CD da cantora Celia Porto. Descanse em paz…..

  3. Descance em Paz !
    Um Verdadeiro cultivador da Cultura !
    Tive o prazer de dançar em diversas festa do Seu Teodoro tanto em Brasilia quanto em Sobradinho !!!
    Augusto Jr brincante do Bumba-meu-Boi de Morros-MA

  4. Pingback: Mestre Teodoro foi bumbá no céu. | Brasília por Chico Sant'Anna

  5. Sobradinho não só perde um grande cidadão, mais também um super Pai, pois Sr. Teodoro nos deu muitas lições de que vale a pena viver e viver cada segundo de nossas vidas, com amor e sinceridade, princípios que nunca os abandonou. Sou testemunha viva do carinho dele para com as pessoas de nossa cidade, só não deu para realizar o desejo dele que era me ver vestido em uma camisa do Flamengo, sinto amigo esta não deu para atende-lo, obrigado por tudo velho amigo!!! Kico Locutor

  6. Aos familiares os meus pesares e que Deus dê o conforto necessário a cada um dos familiares um grande abraço a todos. Kely

  7. Que Deus abençôe a família e console a todos. Todos nós sentimos muito, pois admirávamos muito a ele.Rezaremos por ele.

    Sentiremos sua falta, Seu Teodoro. Que Deus te receba no céu!

    São os votos de Nayra e da família Gonsalves Bomfim (Q.4-Sob)

  8. E uma grande perda aonde sem duvida deixou grandes discipulos para praticar e enaltecer toda a nossa grandiosa cultura nacional. A situação de morimbundo aonde não estamos acostumados a lidar de e um caminho certeiro e inevitavel. foisse embora uma biblioteca sugeneres de conhceimento popular descanse em paz Seu teodoro !!!!

  9. É com grande pesar que recebemos essa noticia, foi sem dúvida um dos maiores incentivadores da cultura popular no DF. Um ícone que sempre deve ser homenageado em todos os anos para que não caia no esquecimento. Nós do Projeto Pau-Pereira, e, todos os capoeiristas ssentimos profundamente essa perda irreparável.ADEUS Seu TEODORO.! Mestre Rruy. planaltina DF.

  10. Pingback: Mestre Teodoro: O eterno encantador cultural « Amo Brasília

  11. Mestre Teodoro, o senhor acolheu o nosso grupo de capoeira (Grupo Uniao na Capoeira), fazendo das instalacoes do CTP a nossa casa e nos propiciou o sentimento de pertenca a um espaco onde a cultura e o respeito por tradicoes sempre permearam todas as atividades que ali se desenvolvem.
    Fica o sentimento de vazio que nao se preenche, mas, ao mesmo tempo, o reconhecimento por quem teve a honra de o conhecer, de que sua missao foi cumprida com rigor e perseveranca, proprio dos homens que acreditam no que fazem e nao se deixam abater diante das dificuldades.
    Sobradinho, Brasilia, seu tao amado Maranhao nao te esquecerao, jamais.
    Obrigado, Mestre Teodoro. Faz boa viagem e descansa em paz, na chegada…
    Umoi Souza
    Grupo Uniao na Capoeira

  12. Sr. Teodoro, apesar da nossa diferença de idade tenho o maior orgulho de ter sido seu colega de trabalho 35 anos na UnB. Deus te levou mas deixou voce revolucionar a cultura no Distrito Federal. Sou testemunha de sua lealdade, de sua luta.
    Quantas veses presenciei voce pedidndo ajuda aos professores, alunos e funcionarios da UnB para manter a memória viva do Bumba e ajudar os colaboradores do grupo de dança daquele galpão. Foi mesmo de arrepiar, só quem viveu esses momentos sabe do seu sofrimento – um sofrimento que lhe alegrava de saber que o boi não morrerá nunca. Meu comendador estive presente quando voce recebeu o premio do Presidente Lula e do Ministro Gilberto Gil. – eu estava lá por que voce me convidou. – eu me sente gente junto com voce.- eu estava feliz por voce.- vá com Deus e rese por nós que nada fizemos perto de tamanha coragem que voce teve de realizar um sonho. – o sonho de ser o COMENDADOR, de ser o ” Seu Teo”, o Teodoro do Boi” o monstro da cultura popular e meu amigo.
    Ezio Freire

  13. QUE DEUS E MEISHU-SAMA, POSSA ALIVIAR OS CORAÇÕES DOS SEUS FAMILIARES, AGORA SEU TEODORO DESCANSARÁ EM PAZ AO LADO DO NOSSO MARAVILHOSO DEUS, E CONTINUARÁ SUA JORNADA NO MUNDO ESPIRITUAL. SAUDADES …. SEU TEODORO… NIVIA E FAMILIA.

  14. Que Deus, o supremo Pai que sabe de todas as coisas possa estar confortando os corações dos familiares do “Teodoro”. Acompanhei, como poucos, a árdua e incessante luta do Teodoro em defesa e na divulgação da cultura popular brasileira, particularmente no que tange ao “Bumba Meu Boi”. O conheci, nos meus 14 anos de idade quando eu era engraxate na UNB, ( o primeiro engraxate e segundo lavador de carros da UNB), hoje, nos meus 64 anos de idade relembro com saudades os momentos vividos e compartilhados com a pequena grande família da UNB nos seus primórdios; éramos, na verdade, uma grande família! Teodoro, deixa não apenas saudades, mas um grande legado para as gerações futuras, o de lutar sempre, desistir nunca! Descance em Paz obstinado guerreiro! Minhas condolências aos parentes e amigos queridos que ficam! Pereira Lima, Locutor Noticiarista de Rádio.

  15. O sr. Teodoro era um idealista, sempre que solicitado saia às ruas com o povo em busca de fazer prevalecer os seus direitos. Sou grata há DEUS por ter tido o privilégio de conhece-lo.
    (Sandra Santos / Fundadora do Conselho dos Direitos da Mulher).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s