Arquivo da categoria: 48a. Festa da Morte do Boi de Seu Teodoro

A partir de sexta (19/8) – 48a.FESTA DO BOI DE SEU TEODORO – A MATANÇA DO GADO

Padrão
A partir de sexta (19/8) – 48a.FESTA DO BOI DE SEU TEODORO – A MATANÇA DO GADO

O BUMBA-BOI DE SEU TEODORO abrirá a 48a. Festa da morte do boi

A partir de sexta-feira e indo até o domingo (19, 20 e 21/8), na Quadra 15 Área Especial no. 2, em Sobradinho, o Centro de Tradições Populares realizará a 48a. FESTA DO BOI DE SEU TEODORO – A MATANÇA DO GADO (programação abaixo). Entrada Franca e Censura indicativa Livre.

Idelaizada pelo Mestre maranhense Teodoro Freire- hoje com 90 anos de idade é o grande responsável pela presença do Bumba-Meu-Boi em Brasília – A Festa da Morte do Boi de Seu Teodoro é realizada tradicionalmente há 47 anos em sua sede na cidade de Sobradinho/DF. Este ano realiza a sua 48ª.  com grupos de Brasília e do Maranhão.

 Grupos participantes

Companhia Barrica – grupo artístico de São Luís do Maranhão, premiado com a Ordem do Mérito Cultural do Brasil, com 26 anos de permanente atuação voltada para a valorização e afirmação da cultura popular brasileira, apresentando em seus espetáculos uma variedade de danças, ritmos, músicas e indumentárias das maiores festas tradicionais do Brasil: os festejos de São João, o Natal e as folias Carnavalescas e também no exterior.

Grupo carnavalesco do Maranhão “Bicho Terra”–  De acordo com informações do poeta Joevah França, “dando vida as variadas formas de brincar o carnaval do Maranhao , o Bicho-Terra nao erra pelos desvaos das terras inférteis de falta de identidade cultural como tantos outros por aí e canta as suas raízes, cores e ritmos mil: pelos cantos guerreiros de tribos de índios; pelo banzo de afoxés de negro – mina – Jeje – Nagô; pelos príncipes e súditos folioes da cadencia dos blocos tradicionais; pela sujeira da caieira de molambos maltrapilhos da alegria dos Baralhos e blocos de sujos, sob saraivadas de frevos e marchinhas e confetes de saudades. O espetáculo é carnaval! Apresenta-se sob essa variedade de ritmos e de danças, cantando as liçoes da natureza, num cenico-musical que alia a mímica e o grasnar dos animais, na relaçao entre os reinos vegetal, mineral e animal, todos na corda bamba do desequilíbrio da vida simbolizada nas rústicas fantasias e máscaras: trágicas e alegres, de peleja e folia, de choro e riso, de sino e de guizo, tilintando e berrando neste planeta Terra”.

Boi de Santa Fé (MA) – sob o comando de José Joaquim Figueiredo – o Zé Olhinho, a brincadeira firma-se há 22 anos como legítimo representante do Sotaque da Baixada no estado do Maranhão,

Boi da Fé em Deus (MA) – do sotaque de zabumba, que há 73 anos faz parte do elenco de brincadeiras que colorem e enriquecem a cultura popular maranhense. Foi o primeiro grupo de bumba-meu-boi a inserir em sua indumentária elementos decorativos compondo desenhos no couro do boi, como miçangas e canutilhos, que deram um colorido e um brilho especial aos grupos de zabumba, que até hoje chamam atenção pela riqueza de seus bordados não só no couro do boi, mas também nos saiotes, chapéus e golas dos brincantes;

Boi do Maiobão (MA) – que com o seu bailado e aproximadamente 300 brincantes vêm divulgando e fortalecendo o sotaque do Bumba Boi de matraca, em apresentações no Maranhão e em outros estados

Baile de Caixa (MA) – que é uma dança de roda com acompanhamento de instrumentos de percussão, tendo ao centro um ou dois pares de brincantes. A dança apresenta coreografia complexa, com reviravoltas bruscas que exigem grande agilidade dos componentes da brincadeira. Os integrantes da roda dançam com passos rápidos e variados com os casais dançando, ora frente a frente, ora de costas, num ritmo alegre e contagiante e,

Bloco tradicional Pierrot(MA) – uma das mais antigas brincadeiras carnavalescas em atividade em São Luís do Maranhão.

SOBRE O BUMBA-MEU-BOI

O Bumba-Meu-Boi é tido como uma das mais ricas representações do folclore brasileiro, surgiu através da união de elementos das culturas européia, africana e indígena. A festa do Bumba-Meu-Boi é uma espécie de ópera popular, cuja história se desenvolve basicamente em torno de um rico fazendeiro, um dos mais belos bois do seu plantel e o casal de trabalhadores da fazenda.

As brincadeiras do Boi começam no sábado de aleluia, quando acontecem os primeiros ensaios com todos os brincantes e quando são definidas as coreografias e as formas das danças. No dia 23 de junho, o Boi é batizado. A partir desse momento, estará pronto para participar de todas as brincadeiras e segue como principal atração das festas. O ciclo se fecha com a morte do Boi, que em Brasília, acontecerá no domingo, 21 de agosto, no barracão-sede do grupo Bumba-Meu-Boi de “seu” Teodoro, em Sobradinho/DF.

A MORTE

A história começa de véspera. Na noite anterior, o Boi foge do curral e o fazendeiro manda os vaqueiros e índios procurarem o bicho. Na manhã seguinte, o boi entra no terreiro e os vaqueiros tentam laçá-lo. O boi procura de todas as formas escapar, sendo até ajudado pelo povo que assiste sua agonia. Quando, finalmente, conseguem pegá-lo, levam-no para o mourão e Pai Francisco (capataz) o mata. A partir desse ponto, começa a festa da morte do boi propriamente dita, com cantos, danças e comidas típicas (veja programação em anexo).

Serviço:

48ª FESTA DA MORTE DO BOI DE “SEU” TEODORO

LOCAL: Sede do Barracão do Grupo. Quadra 15 – AE n° 2 – Sobradinho I

DATA: 19 a 21/08/2011

HORÁRIOS: 19h-23h30(6ªf) // 15h-23h30(Sáb)  //  5h às 19h (Dom)

Entrada Franca e Classificação Livre

Informações para o público:

Assessoria de Imprensa – Marcos Linhares – (61) 8405-8290

Anúncios

A Companhia Barrica é umas das atrações da 48a. Festa

Imagem

A Companhia Barrica  é um grupo artístico de São Luís do Maranhão, premiado com a Ordem do Mérito Cultural do Brasil, com 26 anos de permanente atuação voltada para a valorização e afirmação da cultura popular brasileira, apresentando em seus espetáculos uma variedade de danças, ritmos, músicas e indumentárias das maiores festas tradicionais do Brasil: os festejos de São João, o Natal e as folias Carnavalescas e também no exterior.

foto - divulgação

Boi da Fé em Deus (MA) é uma das atrações da 48a. Festa da morte do boi de Seu Teodoro

Imagem

Boi da Fé em Deus- foto de divulgação

Boi da Fé em Deus (MA) – do sotaque de zabumba, que há 73 anos faz parte do elenco de brincadeiras que colorem e enriquecem a cultura popular maranhense. Foi o primeiro grupo de bumba-meu-boi a inserir em sua indumentária elementos decorativos compondo desenhos no couro do boi, como miçangas e canutilhos, que deram um colorido e um brilho especial aos grupos de zabumba, que até hoje chamam atenção pela riqueza de seus bordados não só no couro do boi, mas também nos saiotes, chapéus e golas dos brincantes